Author Description

Untitled-3

 

Todo mundo sabe que o cardápio favorito da macacada é banana, mas quem dispensa um chocolate, né? No episódio 60 do Socialmediacast falamos sobre a novidade do Android 4.4 batizado como Android KitKat. Isso mesmo uma ação (deliciosa, diga-se de passagem) conjunta entre Google e Nestlé.

Enquanto isso, no fantástico mundo de Apple uma sequência de caracteres árabes travou (e continua travando) iTrecos de todo o planeta (ZéLaina ri loucamente e agradece ao Cid do Não Salvo pela piada). Se você, usuário da maçã, ficou muito #chatiado, saiba que agora pode xingar muito no Twitter (que vai abrir capital \0/) e pagar para o buxixo ser maior. Mas se preferir, pode fazer seu tweet durar só até sua raiva passar.  Aliás, essa seria uma boa ideia para a Carta Capital ~censurada~ pelo Facebook de novo.

E por falar em Facebook, descobrimos o que os funcionários do ~Tio Mark~ acham da empresa e também comentamos sobre uma manifestação que está rolando entre os militares americanos por conta da ação na Síria. Falamos sobre o #Instagram que agora não quer que você encontre postagens sobre o #Popular #iPhone e também o “Mandou bem” da semana para o Hootsuite.

Tá confuso, não entendeu nada? Clica aí no play e fique por dentro de tudo que você precisa pra ficar ligado! ;)

 

Cada macaco no seu galho!

No Facebook | No Google + | No Twitter | Na Comunidade | Na iTunes | no Feedburner

 

 

Play
cassia

Foto: Rawide Hícaro

E aí peoples, tudo bem? Me chamo Cássia Gomes e representando a região Nordeste, em minha primeira publicação aqui #NoGalhoDosZÉstagiários, pretendo abordar duas temáticas, ambas do ponto de vista regional.  A primeira delas, será acerca de como os profissionais de comunicação do Nordeste estão se preparando através de cursos como os de pós-graduação para os desafios das mídias sociais.

No segundo momento, sem fugir do regionalismo quero mencionar um pouco sobre a prática, como é o dia a dia e os desafios do profissional de Social Media no mercado nordestino.

 

#Teoria: Os profissionais de comunicação estão buscando conhecer cada vez mais o universo das mídias sociais e marketing digital e no Nordeste não é diferente

Dois alunos da primeira turma de especialização em Mídias Digitais, Comunicação e Mercado, de uma instituição privada de Campina Grande/PB foram entrevistados. A cidade, de aproximadamente 390 mil habitantes é considerada polo universitário (além claro, de ser a terra do Maior São João do Mundo), recebendo estudantes de diversos lugares do país que procuram ingressar no ensino superior (atualmente Campina concentra duas universidades públicas e mais de dez instituições de ensino superior particulares).

Os dois entrevistados são formados em Comunicação Social, porém, com habilitações diferentes (Jornalismo e Publicidade e Propaganda), e debateram o mesmo assunto, porém, na perspectiva de cada profissional.

Ítalo Wallenberg, o jornalista da dupla, acredita as Mídias Digitais são fundamentais na produção de informações. “A velocidade e recursos que a internet oferece ajudam ao jornalista na apuração e produção de matérias. Com a massificação das redes sociais, por exemplo, a notícia deixou de ser produzida de ‘um para todos’, ou seja, todos produzem conteúdo.” Ele disse ainda, que as MD’s são ferramentas indispensáveis para a busca de pautas. “Twitter e Facebook viraram quase uma rotina na vida dos profissionais que trabalham nas redações”.

“Especializar-se na área é quase uma obrigação para aqueles que desejam usar e aproveitar todas as portas que a internet abre”, destaca Ítalo.

Noemi Guimarães, que é publicitária, diz que ao escolher especializar-se na área de MD’s, encontrou caminho para o uso de recursos antes desconhecidos. “A especialização começou em abril e a partir daí estou utilizando ferramentas que antes não utilizava, e o melhor, vendo que elas são eficazes para a publicidade. Inovações em mensuração de resultados, nomenclaturas novas e app’s diversos. E isso me permite ficar atualizada diante o mercado local, onde muitas pessoas não têm essa formação”, disse Noemi.

“Por sua essência, o Publicitário é inquieto  e as redes sociais são inquietas, sempre em busca de novidades para o consumidor e para empresa”, enfatiza a publicitária.

 

#Prática: O trabalho de Social Media em Campina Grande

Para contar sobre o dia a dia deste profissional da ‘nova era’, convidamos Lise Vasconcelos, executiva de contas da CaféCom Propaganda (também de Campina Grande), para dar detalhes sobre sua rotina à frente das Mídias Digitais.

Lise trabalha na área desde fevereiro de 2012. “Entrei nesse setor devido a minha formação acadêmica (Jornalismo). Sempre fui online, sempre estive conectada, mas fui chamada pela agência para ser atendimento, contudo assim que eu fui contratada, abriu a vaga de Social Media. Como já tinha habilidade de escrever e achava que era mais o meu perfil, acabei assumindo a vaga e estou ate hoje monitorando e criando conteúdo”, conta Lise.

Dentro de sua rotina de Social Media, Lise destaca o trabalho de SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) como ‘o grande vilão dos SM’. “Existe muito debate sobre isso, principalmente nas agências de publicidade, mas é impossível ser SM e não fazer serviço de SAC. Se sua empresa não recebe perguntas, há problemas de interação e engajamento do público”, garantiu a profissional.

Perguntada sobre qual a principal preocupação ou objetivo das empresas em inserir-se nas MD’s, Lise foi enfática. “A verdade é que as empresas estão mais interessadas em se vender na internet e atrair novos consumidores, mas a preocupação não deve ser exatamente essa, deve ser de se posicionar neste ambiente.”

Segundo a profissional, hoje é impossível não se fazer presente nas redes sociais. “Se você não está oficialmente, no mínimo estão falando de você. Logo, você tem que saber o que se fala, como se posicionar sobre isso e assim criar sua identidade nas redes. Depois disso vêm as consequências: um bom posicionamento lhe dar retornos financeiros, um mau funcionamento lhe rende problemas,” afirma Lise, que atualmente administra 13 contas.

Na agência, Lise conta com o apoio de um diretor de arte e uma redatora, para a alimentação das redes. “O monitoramento é quase todo meu, mas há uma programação. Hoje não há necessidade de ter muita frequência no conteúdo, entre fazer 5 publicações meia boca e uma que vá auxiliar o usuário e assim gerar engajamento, prefira fazer esta ultima”, esclarece.

Sobre o fato de todo mundo (digo marcas, empresas, etc) quererem criar perfis nas MD’s e gerir por contra própria (ou contratar “o sobrinho” que é o pior), Lise revelou seu descontentamento com a situação. “As pessoas acham que ser SM é só colocar um texto sobre qualquer coisa e uma foto bonita e pronto. As pessoas não sabem o trabalho que nós temos em buscar conteúdo relevante, adequar a linguagem, observar o público, o envolvimento, analisar as estáticas.”

Sobre o mercado local, a profissional destaca a expansão da atividade. “Acredito que teremos grandes oportunidades de desenvolver um bom trabalho. Vejo alguns bons profissionais que usam bem a ferramenta, sabem utilizar de uma linguagem flexível como a rede necessita como também vejo as empresas buscando esse espaço cada vez mais profissionalmente.”

Em contrapartida, Lise fala que ainda há bastante amadorismo, o que pode causar danos à imagem da empresa. “Vemos ainda muita gente buscando fazer tudo de qualquer jeito, contratando ‘sobrinho’, misturando vida pessoal com perfil de empresa, vemos profissionais que não sabem adequar linguagem, usando as ferramentas de forma errada. Por ser um mercado muito novo é normal ter alguns erros, mas tem pessoas que fazem de todo jeito achando que internet é território sem lei, pode tudo!”, finalizou.

 

Uffa! Desculpem o tamanho do post, talvez uma pequena (grande) loucura de quem escreve tão loucamente, quanto a Alaina fala. Espero que em meio a toda (e põe toda) essa conversa, vocês possam entender um pouco mais sobre o universo prático do Social Media e ainda, opinar sobre a necessidade dos profissionais de comunicação se especializar na área de Mídias Digitais. Saudações monkeyanas dessa paraibana-nordestina B|

O tão esperado episódio sobre a gestão de conte de órgão público finalmente chegou! Podem fazer a festa.

Neste episódio contamos com as ilustres presenças dos guris de Porto Alegre, o Rafael Leite e o Thiago Ribeiro, responsáveis pelo #POADigital. Sabe? O #POADigital? Não? Então escute. O bate-papo foi mais agradável que a variedade de sotaques presente. Falamos sobre como se defender de crises, como usar o emocional, como planejar e como colher os resultados. Quer mais o que? Está tudo bonitinho, melhor que isso só mesmo uma banana split.

Obviamente que depois do da troca de informações vieram as novidades discutidas e repercutidas durante a semana. Falamos sobre a mudança na regra de sorteio do Facebook e de seus álbuns colaborativos. Além da (linda) parceria com uma empresa de banco de imagens. Se tem novidade no facebook, no G+ também, agora você pode ganhar dinheiro ensinando (ou explicando) via hangout, quer saber como? Exatamente, dê o play!

Sem mais delongas, está aqui, pra vocês o SMC#59. Até semana que vem. ;)

Play