O outro lado da moeda.

Como é de conhecimento de todos uma história sempre tem uma versão “cara” (que nesse caso seria a dos usuários que fazem tudo isso acontecer) e “coroa” (empresas que movimentam o capital) e no Social Media não é diferente.

As redes sociais caíram como uma #BananaDeOuro no colo dos usuários. Agora somos capazes de compartilhar, curtir, seguir, retuitar algo de um amigo lá de Parelhas – Campina Grande, por exemplo. E o que isso pode trazer de ruim para mim? Hoje temos a oportunidade de conseguir emprego pelas redes sociais, isso não é fantástico? – o Linkedin não me deixa mentir. Porém, acredite: em todos os lugares existem pessoas boas e ruins, por isso, temos que ter consciência para o que divulgar em nossos perfis, aliás, como todos sabem, estamos sendo vigiados (Um grande abraço amigo, Obama).

 

moeda-monkeyJá para o outro lado as coisas são mais familiares, se é que você me entende. Em boa parte das vezes os “coroas” preferem contratar o sobrinho (que DIZ saber tudo) para gerenciar sua marca nas redes sociais, mas aqui entre nós, sabemos que a coisa não é assim. E se você passar por uma crise? Seu “sobrinho” sabe fazer uma comunicação estratégica digital para você não apenas sair da crise, mas também não perder o que já foi construído? Cuidado, hoje você pode ser o queridinho e amanhã o patinho feio.

As empresas possuem muito medo de entrar no mundo do Social Media, pois ficam pensando o que usuários vão falar sobre elas (que bobagem). Se o medo for mesmo esse, me desculpe em decepcionar vocês, pois já estamos falando. Não vamos falar apenas de uma marca depois dela estar conectada, ou seja, acho melhor você estar presente pelo menos você terá a oportunidade de interagir com seu consumidor.

Interação é outro ponto muito importante. Quem nunca chutou o pau da barraca depois de esperar mais de dias por uma resposta do seu tweet? Hoje em dia é super normal as pessoas pesquisarem na internet antes de concluir alguma compra e se sua marca não estiver por lá a concorrência irá adorar.

Quando você diz: Vamos investir em xoxo?! A resposta é certa: Já invisto em outras mídias. Agora eu faço a pergunta: Quem falou em deixar as mídias convencionais de lado e focar 100% em Social Media? O ideal é você ser forte no off e online, assim você vai aumentar seu campo de ação e fortalecer sua marca.

Imagine na Copa do Mundo e nas Olimpíadas, quando o Brasil será sede dos eventos. Os olhos do mundo estarão virados para o nosso país tupiniquim e várias oportunidades irão surgir, mas para isso, você precisa de profissionais qualificados e não de sobrinhos dizendo que “sabem”.

Considerar que as redes sociais só trazem o bem para todos seria hipócrita da minha parte, mas não concorda comigo que ambos os “caras” e “coroas” podem sim ganhar com essas ferramentas? Como e onde estar presente (ou não) é algo discutido em qualquer evento de Social Media e até mesmo aqui no nosso SocialMediaCast. Portanto, dê grande importância para seus perfis ou páginas, eles representam você (ou sua empresa) para o resto do mundo.

Agradecimentos:
Marcia Ceschini, Coordenadora de Projetos Digitais na WSI Consultores, e Matheus Biasiolo, Social Media da Rebeca Come Terra que contribuíram diretamente na troca de ideias para a composição desse post.

Zé Macaco

robôs do google

Leave a Reply